Notícias

Legislador indiano é preso por tweet criticando Modi

Um legislador estadual na Índia foi preso por criticar o primeiro-ministro Narendra Modi em um tuíte, disseram autoridades na sexta-feira, levantando preocupações sobre a liberdade de expressão na maior democracia do mundo. Jignesh Mevani, um proeminente ativista da comunidade marginalizada Dalit de casta baixa da Índia, acusou o líder nacionalista hindu de idolatrar Nathuram Godse, o assassino do ícone da independência da Índia Mahatma Gandhi. Algumas franjas da direita indiana reverenciam Godse como um herói por matar o homem que culpam pela divisão da Índia e do Paquistão – comentários que o próprio Modi criticou no passado. Mas Mevani escreveu em um tweet no início desta semana que Modi “adora e considera ‘Godse’ como Deus”, acusando o primeiro-ministro de fomentar a divisão religiosa. Ele também exigiu que Modi se desculpasse pela violência comunal em Gujarat, onde Mevani é membro da legislatura estadual. Ele foi preso na quinta-feira sob a acusação de tentar perturbar a "tranquilidade e a paz pública", disse a polícia à AFP. Ele foi levado por todo o país para Assam, no nordeste da Índia, onde a queixa havia sido apresentada, e um tribunal em Kokrajhar negou-lhe fiança, ordenando que ele ficasse sob custódia por três dias. A liberdade de expressão está consagrada na constituição da Índia e os advogados de Mevani chamaram a prisão de “ilegal” e “inconstitucional”. O tweet em questão foi retirado pelo Twitter na Índia após uma queixa legal.

Karateka do Azerbaijão ganha a medalha de ouro da Premier League em karatê