Sociedade Notícias

Morgenstern ostentava grandes taxas: como Pugacheva

O cantor Alisher Váliev, mais conhecido como Morgenstern, deixou a Rússia no ano passado depois de criticar o presidente do Comitê de Investigação, Alexander Bastrykin. Agora o artista mora nos Emirados Árabes Unidos e garante que mesmo no exílio consegue ganhar nada menos que Alla Pugacheva.

Concessionárias Renault têm cerca de 7.000 carros novos em toda a Rússia

O artista de 23 anos deu entrevista à Rádio Novy e disse que dá shows e participa de festas corporativas mesmo no exterior. Ao mesmo tempo, por um "hack", segundo ele, ele recebe no nível de Alla Borisovna.

“Agora, basicamente, nos apresentamos em festas corporativas. O preço começa a partir de 100 mil dólares. Os deputados têm um desconto”, disse ele sarcasticamente.

A mudança de país, diz Morgenstern, não o impede de ser criativo. Segundo ele, membros de sua equipe voam para trabalhar em novos projetos.

Mais cedo, o presidente do Comitê de Investigação, Alexander Bastrykin, criticou o cantor, acusando-o de distribuir drogas pelas redes sociais. Depois disso, Morgenstern deixou a Rússia com sua esposa.

No início de fevereiro, soube-se que o Ministério da Administração Interna havia aberto um processo administrativo contra o artista, pois o departamento considerou suas tatuagens no peito propaganda de drogas.

Morgenstern ostentava grandes taxas: como Pugacheva